Assunto: Friend, leia esta história! (Paulo Santoro, n. 4)

Esta é a edição n. 4 da newsletter mensal de Paulo Santoro.
Peça para o programa EXIBIR IMAGENS, ou clique aqui para ver online.
Caro amigo!
Em poucos dias lançarei meu primeiro romance. Ele ficará disponível em versão digital, e será gratuito por apenas um mês! Enviarei uma mensagem extraordinária quando ele estiver pronto para ser baixado.
Nesta newsletter, faço uma brincadeira lançando um "argumento para best-seller". É a sinopse de um romance que jamais será escrito — pelo menos não por mim! :-)

Um dos leitores irá ganhar o livro SEGREDOS DE FAMIGLIA. Veja no final um pouco sobre o livro e as instruções para participar.
Recrimine o Ser Humano apenas diante de um espelho.

Argumento para um best-seller

Apresento aqui um argumento para best-seller. Vendo barato.
Ele era um pobre rapaz vivendo num local perdido, à beira da linha férrea, responsável por manter em ordem uma cobertura para (raros) passageiros e um entroncamento que (raramente) precisava ser manipulado.
Torna-se amigo dos lobos e das raposas, enquanto os trens passam indiferentemente. Vagões acinzentados levando cargas cinzentas.
Ele se lembra de que o serviço antigamente era do pai. Um dia o pai de repente lhe dissera: “Vou morrer”. Não deveria haver surpresa nessa afirmação, já que todos um dia vão morrer (mas essa observação não deve ser feita em um best-seller). O fato é que o pai morre sem demora. Ele se lembra de que ficou triste.
Cinco dias depois, chega uma carta para ele. Era de seu pai. O leitor normal irá entender que a carta foi enviada pelo pai ainda antes de morrer. Mas deixe espaço para que o leitor anormal pense que a carta veio do além.
A carta dá instruções para que ele continue o trabalho na linha do trem. Sem outros sonhos, ele vai, e é onde está agora.
Em determinado momento, ele começa a fazer algo diferente do que vinha fazendo antes. Não deve haver explicações imediatas para o leitor. Ele está colhendo no campo determinadas plantas e sementes, que são moídas, misturadas com água, com seiva, etc. No final, sabe-se que ele está produzindo tintas.
Com um larguíssimo pincel também improvisado a partir de materiais naturais disponíveis, ele começa a pintar os cinzentos vagões dos trens de carga, que passam sem nenhuma velocidade espetacular.
Mesmo assim, o trabalho é demorado. Um mesmo comboio pode demorar semanas para passar novamente, e é preciso passar dezenas de vezes para que ele consiga pintá-lo por inteiro. Lembre-se de que para o leitor isso não tem nenhum problema. Você pode pular vários anos em um parágrafo, portanto o lento trabalho do protagonista irá comover, e não entediar.
Em breve (no tempo do leitor, claro), os vagões passarão a correr por ali iluminados de cores vivas, embelezando a mata e abrandando as incursões do protagonista pelo terror da solidão.
Certo dia aparece vindo, acompanhando os trilhos, um homem num cavalo. Já o esperava o leitor? Sem dúvida, alguém das pontas da via haveria de se perguntar sobre quem andava pintando os vagões de carga.
Se isto fosse apenas um conto, o homem estaria chegando para despedir nosso herói e tomar-lhe o lugar. “O supervisor não quer que os vagões de carga sejam pintados.” Mas isto não é um conto, e sim um argumento para best-seller. Portanto o homem é apenas um colega, um trabalhador normal do populoso centro industrial aonde chegam as severas cargas dos comboios. “Quis conhecer o homem que me inspirou. Estou pintando toda a cidade.”
O protagonista só consegue responder com um abraço. A câmera vai se afastando para o alto... ops, isto ainda não é a adaptação para cinema.
Título do best-seller: “O homem que pintava trens”.
Para nunca cair, o único jeito é viver rastejando.
VLOG
MEUS VÍDEOS

Toda quinta tem um novo vídeo!

Vejam abaixo os 5 que já foram lançados e assinem meu canal em www.youtube.com/user/PauloS220.

Espero que apreciem os temas e os enfoques!


Vídeo: o livro O nobre deputado
Vídeo: O gênio Alan Turing
Vídeo: O futebol não é um ópio
Vídeo: A minha maior emoção no Teatro
Vídeo: o Everest é um grãozinho de areia
O AUTOR
Paulo Santoro escreve ficção para o leitor que pensa. Seu primeiro trabalho a entortar cérebros foi O canto de Gregório, espetáculo teatral dirigido por Antunes Filho. Seus textos desafiam as fronteiras da lógica para fazer uma síntese das grandes ideias que movem o ser humano.

Outros três textos de sua autoria já foram levados aos palcos. Teve duas peças publicadas em livro pelo Sesc de São Paulo e participou da equipe de roteiristas da série Sessão de Terapia, exibida pelo canal GNT com direção de Selton Mello. 
Depoimento

Paulo Santoro é totalmente imprevisível, qualidade que só os grandes autores possuem. História, fórmulas, teorias, arte, humor e talento: esta é a obra de Paulo Santoro.

Riba Carlovich, ator e diretor
Ganhe o livro SEGREDOS DE FAMIGLIA

Fui convidado para participar desse interessante projeto de transformar um jogo de tabuleiro em um livro de contos. Escrevi o conto "Um papel feito para mim", baseado na carta do jogo chamada Corrupção. Você pode ver mais detalhes e comprar o livro aqui, mas um volume será sorteado entre os assinantes do meu canal no YouTube que postarem qualquer comentário em um de meus vídeos a partir de 27/8/2014!
Vencedor de O MÉDICO E O MONSTRO

Na promoção do livro O médico e o monstro, a vencedora foi a usuária do YouTube jehdejesus, que receberá em casa um exemplar!
Assine esta newsletter

Se você ainda não assina a newsletter, clique aqui para vê-la online e então aperte o botão "Assinar" no alto da tela.
Like Twitter Forward
Rua Schilling, 134, casa 3, 05302-000, Sao Paulo, Brazil
Você pode cancelar sua assinatura ou alterar os seus dados de contato a qualquer momento.

Powered by:
GetResponse
Rua Schilling, 134, casa 3, 05302-000, Sao Paulo, Brazil
Você pode cancelar sua assinatura ou alterar os seus dados de contato a qualquer momento.

Powered by:
GetResponse
    Loading...